quinta-feira, 7 de março de 2013

UTILITY/UTILIDADE: repelling flies/repelente de moscas



A plastic bag with water really flies away?
Away, yes. In fact, a bag full of water acts as an excellent repellent not only flies, but against any insect that flies. This is because the animals perceive the object as if it were a mirror and change the trajectory of their flight. On entering any place and run into the bag full of water, the fly sees his reflection in the liquid. Then, by instinct or even scare, it stops and leaves the environment. "It's more or less the same thing that happens when faced with a mirror that reflects light from the sun If we are hit by sunlight, it bothers us, and our initial impulse is to turn back or divert the path, even as precautionary measure, "says agronomist Octavio Nakano, University of São Paulo (USP). The scientific proof that old habits arose when some popular USP researchers noted the custom of bars and restaurants that use the bag of water to ward off insects. Intrigued, they decided to do several tests with the housefly (Musca domestica) to check whether there was basis in that practice. Gave no other: after a series of measurements, the scientists published papers in academic journals specialized validating the revenue of the masses, about six years ago.


Um saco plástico com água realmente afasta moscas?
Afasta, sim. Na verdade, um saco cheio de água funciona como um excelente repelente não apenas para moscas, mas contra qualquer inseto que voe. Isso acontece porque os bichinhos percebem o objeto como se ele fosse um espelho e mudam a trajetória de seu vôo. Ao entrar em um lugar qualquer e topar com o saco cheio d’água, a mosca vê sua imagem refletida no líquido. Aí, por instinto ou mesmo por susto, ela pára e sai do ambiente. "É mais ou menos a mesma coisa que acontece quando deparamos com um espelho que reflete a luz do Sol. Se somos atingidos pelos raios solares, isso nos incomoda, e nosso impulso inicial é dar meia-volta ou desviar o caminho, até mesmo como medida de precaução", afirma o engenheiro agrônomo Octávio Nakano, da Universidade de São Paulo (USP). A comprovação científica desse antigo hábito popular surgiu quando alguns pesquisadores da USP notaram o costume de bares e restaurantes usarem o tal saco d’água para afugentar os insetos. Intrigados, eles decidiram fazer vários testes com a mosca doméstica (Musca domestica) para comprovar se havia ou não fundamento naquela prática. Não deu outra: depois de uma série de medições, os cientistas publicaram trabalhos em revistas acadêmicas especializadas validando a receita do povão, cerca de seis anos atrás.